Educação Financeira

Você sabe o que é e como funciona um CDB?

Por
Voltar

Você sabe o que é e como funciona um CDB?

Quem está buscando opções de investimento provavelmente já se perguntou o que é CDB. Ele é bastante divulgado no mercado financeiro e pode ser uma alternativa à Poupança. Mas é preciso saber como ele funciona para investir com segurança.

Você sabe todas as informações sobre esse investimento: seus tipos, prazos e para qual perfil de investidor ele é aconselhado? Como todas as aplicações, ele possui riscos e vantagens, além de um procedimento próprio.

Para responder tudo isso, preparamos este conteúdo. Nele você entenderá o que é o CDB e verá as informações mais importantes sobre esse título de renda fixa. Confira a seguir!

O que é CDB?

O Certificado de Depósito Bancário, conhecido como CDB, é um título emitido por bancos com o intuito de financiar suas negociações. Assim, a instituição financeira utiliza os valores arrecadados para fazer empréstimos pessoais e financiamentos, por exemplo.

Ou seja, quem compra um CDB está basicamente emprestando dinheiro ao banco. Como qualquer empréstimo, ele será pago ao final com juros. É assim que o investidor terá os seus rendimentos: no fim do período, ele resgatará o valor com acréscimo.

O CDB, portanto, é um investimento de renda fixa. Ou seja, há previsibilidade em relação à rentabilidade. Ao investir na aplicação, você saberá a lógica de juros aplicada até o final do período. Por isso, trata-se de um título seguro e conservador.

Como ele funciona?

Diversas características do CDB – como a taxa de juros e o prazo para resgate – variam de acordo com as ofertas das instituições financeiras. Esses dados têm influência no rendimento e também na tributação aplicada, que acontece de acordo com o prazo.

Existem alguns títulos de liquidez diária. Significa que é possível resgatá-los em D+0 – ou seja, no mesmo dia. Nesses casos, a rentabilidade costuma ser menor. De outro lado, a maioria das ofertas de CDBs tem liquidez no vencimento — e as possibilidades de ganhos podem ser maiores neles.

Note que a liquidez e o prazo não significam a mesma coisa. Embora todo CDB tenha um prazo estabelecido, alguns bancos permitem que o resgate seja feito de forma antecipada (ou seja, apresentam liquidez alta). Os que têm liquidez baixa apresentam resgate apenas no vencimento.

Nesses casos, precisar do dinheiro antes do prazo e pedir um resgate costuma representar a perda dos rendimentos obtidos até o momento. Por isso, ao escolher um CDB, considere tais fatores para adequá-los aos seus objetivos.




Como o CDB é tributado?

Uma questão importante em relação ao CDB diz respeito à sua tributação. Afinal, incide Imposto de Renda sobre os rendimentos dos títulos? A resposta é sim, porém ele é aplicado de forma regressiva.

Quanto maior o prazo de resgate, menor será a alíquota aplicada do Imposto de Renda. E, por isso, considerar os prazos é importante.

As taxas são as seguintes:

• prazo de até 180 dias: alíquota de 22,5%;

• prazo de 181 a 365 dias: alíquota de 20%;

• prazo de 366 a 720 dias: alíquota de 17,5%;

• prazo acima de 720 dias: alíquota de 15%.

Quais são os principais tipos de CDB?

Você já sabe o que é CDB e como funciona. Agora é necessário conhecer os principais tipos desse investimento. Eles são classificados de acordo com a rentabilidade da aplicação. São divido em três modalidades: pós-fixado, prefixado e híbrido.

O pós-fixado tem a rentabilidade atrelada a um indexador econômico. É a forma de rendimento mais comum no mercado financeiro e pode utilizar qualquer índice oficial de escolha da instituição. Um indexador comum para os CDBs prefixados é o CDI — Certificado de Depósito Interbancário.

Assim, você pode encontrar um título que rende 110% do CDI, por exemplo. Significa que seus ganhos estão relacionados à taxa CDI de cada momento. Geralmente, o valor dela fica muito próximo ao da Selic (a taxa básica de juros da economia).

Além dessa forma de rentabilidade, existem os títulos prefixados. Eles não estão atrelados a um índice. Nele, o CDB terá um rendimento fixo até o final do prazo, informado desde o início. Um exemplo é um título que será resgatado com um rendimento de 4% ao ano,

Já o CDB híbrido combina os dois tipos anteriores. Ele terá um rendimento atrelado a um indexador mais uma taxa prefixada. É comum que se utiliza índices de inflação, como o IPCA. A aplicação pode seguir o IPCA mais 2% ao ano, por exemplo.


Baixe gratuitamente o nosso simulador de investimentos


Quais são as vantagens e riscos do CDB?

Mais uma informação importante acerca do CDB é sobre suas vantagens e riscos. O risco principal é de crédito. Ou seja, de levar calote. Contudo, vale destacar que esse título é garantido pelo FGC — Fundo Garantidor de Crédito.

Ele cobre investimentos de até R$ 250 mil por CPF e instituição financeira, até um teto de R$ 1 milhão a cada 4 anos. Então, caso a instituição financeira fique insolvente, o FGC cobrirá o investidor. Isso garante que o seu dinheiro investido não seja perdido em situações assim.

Por contar com a segurança e previsibilidade, o investimento em CDBs pode fazer mais sentido para pessoas com perfil conservador. Afinal, esses investidores não gostam de correr riscos e preferem investimentos mais seguros, mesmo que a rentabilidade seja limitada.

Todavia, o CDB também pode ser interessante para investidores de perfil arrojado ou moderado. Por exemplo, para planos de curto prazo e que precisam de estabilidade. É o caso da reserva de emergência — que deve estar preferencialmente em um investimento seguro e de liquidez diária.

Tenha em mente que, para objetivos a serem realizados em breve, costuma ser interessante considerar a renda fixa. Afinal, investimentos de maior risco, como Ações, envolvem volatilidade. Mas fique atento: como a tributação é regressiva, quem deseja investir a curto prazo terá uma alíquota maior de imposto.

Como investir em CDB?

Conhecendo as informações principais sobre o assunto, é hora de saber como investir em um CDB. O primeiro passo é procurar uma corretora de valores. Elas são conhecidas por oferecer uma variedade maior de opções para o investidor.

Se você procurar apenas em bancos tradicionais ficará atrelado às alternativas daquela instituição. Assim, é comum não conseguir encontrar CDBs com prazos e rendimentos condizentes com os seus objetivos.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a entender o que é CDB e como investir nele. Lembre-se de considerar seu perfil de risco e os seus objetivos para procurar por alternativas de investimento que estejam próximas das suas expectativas!

Agora que você já conhece melhor o CDB, não perca o nosso conteúdo sobre onde investir para fazer seu dinheiro render mais!


Quer investir com a ajuda de um especialista? Receba o auxílio gratuito de um assessor de investimentos



Calculadora de IR