Educação Financeira

5 Dicas para proteger sua carteira de investimentos

Por
Voltar

Fazer hedge de uma carteira de investimento significa adotar estratégias que ajudem a proteger seu valor. O objetivo é criar as condições para que o portfólio sofra menos impactos diante das oscilações do mercado.

Por mais que não evite a ocorrência de perdas, o hedge financeiro ajuda a limitá-las. Dessa maneira, o risco se torna mais controlado e o seu patrimônio fica mais protegido.

Para saber como fazer a proteção de carteira, você pode usar essas 5 estratégias de investimento. Confira quais são elas!

1. Recorra à diversificação de carteira

Independentemente dos objetivos do seu portfólio, a proteção de carteira requer a diversificação de investimentos. Ela consiste em escolher investimentos com riscos distintos, para que o desempenho não dependa apenas de uma condição do mercado.

O processo também serve para evitar a concentração de recursos em poucos investimentos, de modo a reduzir os impactos de uma possível perda. Dessa forma, você dilui riscos e impede que sua carteira fique comprometida diante de determinados resultados.

Para diversificar investimentos, devem-se buscar alternativas descorrelacionadas para compor o portfólio. A ideia é encontrar investimentos que se comportem de maneira oposta perante as mesmas condições.

As aplicações financeiras pós-fixadas da renda fixa, por exemplo, costumam ter um retorno maior com o aumento da taxa Selic — atraindo investidores. Por outro lado, o mercado de ações pode sofrer uma queda nessa situação— e o contrário também pode acontecer. Isso os caracteriza como descorrelacionados.

Outra possibilidade para a diversificação de investimentos é investir parte do patrimônio no ouro. Considerado reserva de valor, o preço do metal costuma aumentar em crises que abalam os mercados.

Como consequência, é possível obter ganhos mesmo diante das perdas de outras alternativas de investimento — como as ações.


Aprenda a operar opções com o nosso treinamento Invista em Opções


2. Exponha-se a outros mercados

Outra forma de fazer hedge financeiro consiste em expor o seu patrimônio a outros mercados. Isso permite aproveitar condições externas e evita que todo seu patrimônio sofra os efeitos decorrentes do cenário interno, por exemplo.

A exposição ao mercado exterior também é útil para prevenir perdas que podem ocorrer em decorrência da variação cambial. Se todo seu patrimônio estiver em reais e o dólar subir, há uma perda relativa à capacidade de consumo.

Considerando que muitos gastos cotidianos são influenciados pela cotação de moedas estrangeiras, essa exposição pode ajudar. Aqui, talvez você se pergunte: “Como dolarizar meus investimentos?”. Para tanto, é necessário buscar investimentos que tenham exposição à moeda estrangeira.

É possível buscar fundos cambiais, que focam em ativos e derivativos ligados à variação cambial, por exemplo. Também existe a chance de negociar contratos futuros ou mini contratos de dólar.

Para ter exposição internacional, uma alternativa é o investimento em fundos de índice (ETFs) de indicadores ligados ao mercado estrangeiro. Há, ainda, os certificados de depósitos de valores mobiliários (BDRs) de ações, ETFs ou títulos do exterior.

Em ambos os casos, é possível investir indiretamente em ativos internacionais, com negociações feitas por meio da bolsa de valores brasileira — B3.

3. Use operações estruturadas

As operações estruturadas preveem a negociação de dois ou mais ativos ou derivativos. A intenção é criar operações que garantam proteção contra determinadas condições do mercado ou que permitam o aproveitamento de cenários específicos.

Por exemplo, utilizando opções você pode utilizar uma trava de baixa, que limita perdas que podem acontecer diante da queda do mercado de renda variável, por exemplo. Outra operação estruturada de proteção é a fence — que tem como objetivo proteger parcialmente uma queda, a custo zero para o investidor.

A montagem de uma operação estruturada depende dos seus objetivos com a estrutura. Para ter ajuda na hora de escolher a melhor estratégia para proteger sua carteira, vale a pena contar com o suporte de uma assessoria de investimentos.

4. Considere usar os derivativos

A proteção da carteira de investimento pode ser feita, ainda, com apoio dos derivativos individualmente. Eles são componentes do mercado financeiro cujo valor está atrelado ao desempenho de um ativo de referência.

É o caso das opções de ações. Elas garantem ao comprador o direito de comprar ou vender ativos, por um preço de exercício (strike) em uma data futura. Portanto, são derivativos que podem ser usados para proteger a sua carteira de ações.

Se você vislumbrar a possibilidade de ocorrerem quedas de uma ação da sua carteira é possível adquirir opções de vendas, por exemplo. Se o movimento realmente se concretizar, há a chance de exercer as opções, vender os papéis e comprar as ações por um preço menor, se for o caso.

Ainda, há a oportunidade de utilizar opções de outros ativos, como cotas de ETF. Por exemplo, opções de BOVA11 — fundo de índice replica a carteira teórica do Ibovespa — pode ajudar o investidor a proteger sua carteira de investimentos em ações.

Então, é possível negociar opções de compra ou venda, dependendo do movimento, para aumentar as chances de proteção do seu portfólio de renda variável. Sabendo como funciona o uso desses derivativos é uma forma de conhecer (e usar) o chamado seguro de opções.


Baixe gratuitamente o nosso simulador de investimentos


5. Faça o rebalanceamento da carteira

Além de saber como montar a carteira de investimento e diversificá-la, é necessário acompanhar sua evolução. Para garantir a proteção, também pode ser recomendado fazer o rebalanceamento de carteira.

O processo serve para manter a proporção ideal de cada investimento ou operação em sua carteira. Afinal, os investimentos com rendimento elevado terão mais força no portfólio, e aqueles que tiverem queda serão menos representativos após os movimentos.

Diante disso, o rebalanceamento busca retornar aos níveis ideais de percentuais investidos em cada alternativa presente no portfólio. Assim, você consegue manter o risco da sua carteira no nível considerado adequado para o seu perfil.

Você conheceu neste post 5 dicas para proteger sua carteira de investimentos. Agora, será mais fácil identificar as alternativas do mercado e estabelecer estratégias para cuidar melhor do seu patrimônio!

Aproveite para entender a importância do hedge com derivativos e veja por que recorrer a essa alternativa!


Método Investimentos